16 de fevereiro de 2018

IMPOR PELA MOBILIZAÇÃO DAS BASES OPERÁRIAS E POPULARES UMA GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO QUE PARALISE A PRODUÇÃO PARA DERRUBAR TEMER E SUAS REFORMAS NEOLIBERAIS! NÃO A POLÍTICA DE PRESSÃO SOBRE O PARLAMENTO E DE APOIO AS CANDIDATURAS DA OPOSIÇÃO BURGUESA NO CIRCO ELEITORAL DA DEMOCRACIA DOS RICOS!

Mal acabou o Carnaval, onde o vampiro Temer foi alvo de protestos populares por todo o país nas marchinhas e até mesmo no Sambódromo como no desfile da Escola de Samba “Paraíso do Tuiuti”, o golpista pretende junto com o canalha Rodrigo Maia colocar em votação na Câmara dos Deputados o projeto da malfadada “Reforma da Previdência”. As contrarreformas neoliberais levarão ao acirramento da pobreza, concentração extrema de renda e estagnação profunda da economia nacional, tornando ainda mais grave a crise. As privatizações inviabilizarão as condições de vida das massas, além desestruturar o próprio Estado nacional burguês brasileiro. Nesse contexto, a contrarreforma neoliberal da previdência exigida pela máfia financeira internacional, significa na prática, o espólio aberto de parte significativa da riqueza produzida pelos trabalhadores. A LBI, TML e diversas oposições classistas pelo país temos defendido a convocação de uma verdadeira Greve Geral por tempo indeterminado paralisando a produção, comércio e transporte para derrotar Temer e seus ataques contra os trabalhadores, apostando na luta direta, radicalizada dos explorados e oprimidos para enterrar esse governo corrupto e entreguista. Longe de seguir esse caminho de combate, a Frente Popular (PT, PCdoB e PSOL) assim como as centrais sindicais (CUT, FS, CTB, Conlutas, Intersindical...) tem apontado apenas “dias nacionais de luta” sem organização na base das categorias, limitando-se a atos domesticados e pacíficos de protesto, como desejam fazer agora nesta segunda-feira, 19 de Fevereiro. Essa política de colaboração de classes de não radicalizar a luta e restringi-la a pressão parlamentar, está na verdade voltada a desgastar Temer e patrocinar ilusões no circo eleitoral da democracia dos ricos via as candidaturas do PT e PSOL. Trata-se de uma orientação suicida que nos levará a derrota, como foi na época da Reforma Trabalhista e na Terceirização. O movimento operário e popular encontra-se paralisado em razão de sua direção burocrática e pelega, que vive basicamente dos aparatos dos sindicatos e das Centrais sindicais, como CUT, CTB, Força Sindical, CSP-Conlutas, Intersindical, e todas as demais, que sustentam o regime golpista, traindo e contendo a enorme disposição de luta dos trabalhadores por suas reivindicações imediatas e por seus direitos trabalhistas e previdenciários. As direções burocráticas e pelegas não mobilizam os trabalhadores, sendo que em razão das pressões destes apenas realizam paralisações de 24 horas para que elas não coloquem em risco a estabilidade do regime golpista.

Os burocratas boicotam sistematicamente a convocação de uma Greve Geral por tempo indeterminado porque sabem que isso colocará em risco os seus privilégios e o regime golpista com a entrada em cena do conjunto do movimento operário e popular. Os burocratas sindicais sustentam esse governo golpista que retirou todos os direitos dos trabalhadores e rasgou a CLT e que agora pretende acabar com a aposentadoria e os direitos previdenciários. É necessário forjar uma nova vanguarda operária e revolucionária para a defesa um programa de luta pelas reivindicações imediatas e transitórias dos trabalhadores contra o desemprego, reajustes salariais, redução da jornada de trabalho sem redução do salário, e sobretudo agora preparar e organizar uma Greve Geral por tempo indeterminado, com comandos de greve eleitos pela base, pela anulação da “Reforma Trabalhista” e contra a aprovação da “Reforma da Previdência” e pela derrubada do regime golpista e de suas instituições. Portanto, barrar esse ataque a previdência é impor na verdade um duro golpe ao grande capital financeiro imperialista, que é quem está de fato por trás dos ataques contra os trabalhadores, levado adiante por seus serviçais no parlamento e grande imprensa corrupta. Não confiar na traidora e covarde burocracia sindical frente populista eleitoreira lulista, e articular nos locais de trabalho, estudo e moradia pela base o embrião de uma verdadeira Greve Geral no país é mais do que urgente, para derrotar esse criminoso arrocho neoliberal do capital em decadência contras as condições de existência das massas operárias!

Defendemos a convocação pela base de um amplo e democrático Congresso Nacional dos Trabalhadores agrupando o movimento operário, popular, camponês e estudantil, que deve ser forjado como uma alternativa de poder dos trabalhadores diante do circo eleitoral da democracia dos ricos que se aproximam e frente a paralisia política imposta pela burocracia sindical que deseja apenas desgastar o golpista Temer para desviar as lutas para o terreno eleitoral. A LBI, TML e as Oposições classistas que subscrevem esse manifesto lançam um chamado franco à toda vanguarda classista, a grupos políticos, sindicais e organizações marxistas para juntos convocarmos um Congresso que aprove uma plataforma de centralização das lutas como alternativa a farsa de uma saída eleitoral nos marcos da institucionalidade burguesa. O seu caráter não é meramente sindical e sim o embrião de um organismo político de frente única capaz de agrupar todos os setores explorados do país para assentar as bases de um poder de novo tipo, proletário e socialista, forjando embrionariamente a consciência dos exploradores na senda da construção de seu próprio poder estatal, o Governo Operário e Camponês, como um sinônimo político da Ditadura do Proletariado.

- Eleger comandos de greve nas bases das categorias!

- Não à aprovação da Reforma da Previdência!

- Abaixo o golpista Temer!

- Organizar um Congresso Nacional de Base dos trabalhadores como um embrião de organismo de poder proletário e socialista!

LIGA BOLCHEVIQUE INTERNACIONALISTA – LBI
TENDENCIA MARXISTA-LENINISTA – TML  
MOVIMENTO DE OPOSIÇÃO BANCÁRIA (MOB) – CE 
OPOSIÇÃO CLASSISTA DOS QUÍMICOS – SP 
OPOSIÇÃO DE LUTA DOS PROFESSORES – CE 
OPOSIÇÃO COMBATIVA DOS PETROLEIROS – RN 
OPOSIÇÃO UNIDADE NA LUTA - URBANITÁRIOS – CE 
OPOSIÇÃO DOS PROFESSORES/MARACANAÚ - CE

Nenhum comentário:

Postar um comentário