23 de julho de 2018

Conferência Nacional Aberta contra o golpe reúne militantes de todo o Brasil

A Conferência Nacional contra o golpe reuniu aproximadamente 1.000 delegados de todo o Brasil, representando centenas de Comitês de Luta Contra o Golpe, na Quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo e Osasco, no final de semana, dias 21 e 22, com a participação de militantes do Partido da Causa Operária (PCO), o qual teve a iniciativa de convocar a Conferência, de militantes do Partido dos Trabalhadores, contando com a presença, logo pela manhã do primeiro dia, no sábado, do Deputado Federal e pré-candidato Vicentinho, do pré-candidato a deputado estadual, Adriano Diogo, ativista dos Direitos Humanos, da pré-candidata a deputado estadual, a professora Maria Izabel Noronha, a Bebel, e, no dia 22, no domingo, no início da tarde, da presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, a qual discursou incentivando a luta contra o golpe.

Estiveram presentes além dos militantes do PT e do PCO, militantes da Corrente Comunista Revolucionária (CCR), da Liga Proletária Marxista (LPM), da Frente Comunista dos Trabalhadores (FCT), da corrente O Trabalho do PT, dentre outras organizações. Assinale-se, ainda, a presença de uma representante do Comitê de Luta Contra o Golpe de Berlim, na Alemanha.

A Conferência foi muito importante em razão do debate realizado, que permitiu que fossem esclarecidas questões relevantes, para que o conjunto dos ativistas obtivessem uma melhor compreensão da conjuntura política, das táticas e da estratégia do movimento de luta contra o golpe. Além disso, foi meritória por organizar as lutas e as tarefas práticas para o próximo período,  impulsionando a frente única dos trabalhadores por meio dos Comitês de Luta Contra o Golpe.

Para a nossa tendência, a TML, foi importante também, porque tivemos uma compreensão melhor da conjuntura, fato esse que propiciou reformular as nossas posições, porque detectamos um sectarismo nosso em relação ao PT e ao PCO, resultado do debate do Plenário da Conferência e da discussão fraterna em grupo, principalmente devido  a um companheiro do PT da Vila Buarque.

A Conferência deliberou a participação na Greve Geral marcada para o dia 10 de agosto contra o governo golpista e pela liberdade de Lula, assim como a participação na mobilização em Brasília, no dia 15, também em agosto, para garantir o registro da candidatura de Lula, com o objetivo de que os Comitês de Luta Contra o Golpe levem à Capital Federal 5.000 pessoas. Acrescente-se, ainda, que foram definidas sugestões de atividades para os Comitês de Luta Contra o Golpe no exterior. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário