sábado, 11 de junho de 2016

O povo voltou às ruas para derrotar o golpe no Brasil

Ontem, sexta-feira, 10 de junho, aconteceram grandes manifestações pelo Brasil inteiro contra o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano.

O ato foi convocado pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, tendo sido realizadas grandes manifestações em todos os Estados da federação, nas capitais e nas grandes cidades, sendo que, em São Paulo, a Avenida Paulista foi ocupada pelos manifestantes que colocaram a necessidade da derrubada da ditadura Temer/Cunha. Inclusive, no exterior, em Nova Iorque e nas principais capitais europeias, como Paris, aconteceram protestos contra os golpistas da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano. 

A mobilização de ontem é significativa no sentido de marcar a retomada das lutas de forma organizada e centralizada, pois após a destituição da presidenta Dilma, passaram a ocorrer enorme quantidade de manifestações, protestos, passeatas, ocupações, fechamento de ruas, avenidas e estradas, enfim,  conflitos generalizados, mas de forma espontânea.

A ditadura Temer/Cunha está afundando em razão da resistência, pois já perdeu 3 ministros em apenas duas semanas, vivendo uma grande crise, que, com certeza, fará com que ela se afunde completamente em breve.

Assim, foi fundamental esse passo de retomada das lutas de forma centralizada e organizada para por abaixo o governo e esmagar aos golpistas.

Está claro que o movimento operário e popular vai entrar em conflito com o governo golpista que, para salvar o capitalismo, busca retirar todos os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores e se apoderar do patrimônio nacional, como os bancos e as empresas estatais, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Petrobrás (esta para entregá-la à Chevron e à Shell).

As mobilizações de ontem foram importantes porque marcam a reorientação do movimento e a retomada das ruas para esmagar o golpe e os golpistas, no sentido de priorizar a ação direta das massas, sem ilusão do parlamento fantoche e nas demais instituições golpistas do Estado burguês, como o Poder Judiciário, o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público Federal, a Polícia Federal (a polícia política do golpe), o Tribunal de Contas da União, e as Forças Armadas. Como sempre assinala a Tendência Marxista-Leninista, a maioria dessas instituições golpistas são compostas por membros que não se submetem ou submeteram ao sufrágio universal, ao voto, ou seja, ao controle do povo, sendo ocupadas por usurpadores.

Da mesma forma que o Supremo Tribunal Federal golpista “removeu” o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (continua recebendo e atuando da mesma maneira que antes, só não comparece nas dependências da Câmara dos Deputados), para maquiar o golpe e depor a presidenta Dilma, agora para consolidar o golpe e deflagrar a guerra civil anunciada contra a classe trabalhadora, o Ministério Público Federal e o STF enviaram o processo de Lula para o juiz Sérgio Moro, suspeito de ser agente da CIA, visando a decretação da prisão do líder operário.

O enfrentamento do movimento operário e a burguesia entreguista e o imperialismo norte-americano, com certeza, provocará uma situação revolucionária, porque os “de baixo” não querem e os “de cima” não podem continuar vivendo à moda antiga, como nos ensinou Vladimir Lênin.

A classe trabalhadora não pode ter ilusão na votação no Senado, não pode ter ilusão parlamentarista, não pode ter ilusão legalista ou constitucional. O golpe somente poderá ser derrotado a partir das ruas, sendo necessário o esmagamento dos golpistas.

Para tanto, é fundamental que seja preparada e organizada uma greve geral, com eleição de comandos de greves, nas fábricas, nas empresas, nos bancos, nas repartições públicas, nos campos, nas escolas e nas universidades. Além disso, devem ser ampliados os comitês de lutas contra o golpe, bem como devem ser formados comitês de autodefesa e milícias operárias e populares, a partir dos sindicatos.

- Ampliar os comitês antigolpistas!

- Formar os comitês de autodefesa a partir dos sindicatos: milícias operárias e populares!

- Liberdade para os presos políticos! Liberdade para Zé Dirceu e João Vaccari!

- Pelas liberdades democráticas!

- Abaixo a repressão!

- Dissolução da polícia militar e da polícia federal (a polícia política do golpe)!

- Eleição dos juízes!

- Abaixo o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano!

- Derrubar todas as instituições golpistas!

- O povo na rua derruba a ditadura Temer/Cunha!

- Esmagar os golpistas!

- Fora Temer e todos os golpistas!

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário