quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Organizar a greve geral e votar nulo contra o golpe e a perda dos direitos trabalhistas

A Tendência Marxista-Leninista constata que no 2º turno da Eleições municipais não há nenhum partido que defenda a independência da classe operária, sendo que agora propõe que os operários, camponeses, estudantes votem nulo contra o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano.

No 1º turno, a TML apoiou o Partido da Causa Operária (PCO) devido à sua luta contra o golpe, mas este partido não conseguiu passar para o 2º turno.

Psol e sua candidatura frente populista no Rio 

O candidato do Partido da Liberdade e Socialismo (PSOL), Marcelo Freixo, vai ao segundo turno no Rio de Janeiro, e apresenta sua candidatura como socialista e de esquerda, mas ela não passa de uma candidatura frente populista, de conciliação e colaboração de classes e defensora da democracia burguesa que não passa da ditadura do capital. Está apoiada por vários partidos burgueses, como a Rede, da Marina Silva e da Neca Setúbal, dona do Banco Itaú, representante do golpista e reacionário capital financeiro; pelo Partido Verde (PV), pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) e pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB); pelo partido pequeno-burguês democratizante Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU), que apoiou o golpe; e pelo PT.

“Durante o evento, o senador Randolfe Rodrigues (Rede – nota da TML) disse que era alentadora a possibilidade da mudança política no Rio. Que esta primavera que você Freixo inaugurou aqui no Rio se expanda para todo o Brasil com a tua vitória.”

“O candidato do Psol agradeceu o apoio e ressaltou que este não é um encontro apenas eleitora. Segundo ele, o encontro era de amigos de longa data.”

“O segundo turno é o aperfeiçoamento da democracia. O segundo turno é o momento do veto e do voto e é natural que você vote para vetar ou não. Aqui não é uma reunião para o veto. Aqui é uma reunião do voto. Outras podem ser do veto. Essa não.” (Portal G1, 5/10/2016).

Além disso Freixo é defensor das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) que aterrorizam e assassinam a população pobre e negra nos morros do Rio de Janeiro:

“E como há pouco investimento social a polícia tem uma função que não é a sua. Em todas as UPPs, quem resolve sobre coleta de lixo, qualquer assunto, é a polícia. Se uma pessoa quer organizar uma festa de 15 anos para sua filha ou realizar um culto em uma praça, tem que pedir autorização. Em que outro lugar do planeta isso acontece?, explica Freixo “As UPPs não têm que acabar, este não é o debate...Mas ela fracassou ao não reconhecer os seus erros e não debater com a sociedade, principalmente os moradores das favelas.” (Portal 247, 09/04/2015, sobre um entrevista de Marcelo Freixo dada ao jornal El País da Espanha).

Trotsky nos ensinou qual o caráter de classe da polícia:

“Durante todo o dia as massas populares circulavam de bairro em bairro violentamente perseguidas pela polícia, contidas e rechaçada pelas forças da cavalaria e por alguns destacamentos da infantaria. Gritavam: 'Abaixo a polícia!', e ouvia-se frequentemente um hurra aos cossacos. Era um detalhe significativo. A multidão demonstrava um ódio furioso contra a polícia. A polícia montada era recebida com vaias, pedras, pedaços de ferro. Muito distinta era a atitude dos operários com relação aos soldados... A polícia é um inimigo cruel, inconciliável, odiado. Não há nem que se pensar em ganhá-los para a causa...” (León Trotsky, Historia da Revolução Russa, Capitulo VII, Cinco dias - 23 a 27 de fevereiro de 1917, 1930).

PCdoB apoia PSDB em São Bernardo do Campo

O Partido Comunista do Brasil vai apoiar o PSDB em de São Bernardo do Campo, comprovando que esse partido não tem nada de comunista há muito tempo.

“Ficar neutro, anular voto ou se abster é renunciar à democracia e renunciar ao direito de participar. Temos de fazer a melhor opção consciente de que para a cidade de São Bernardo confiamos que o Orlando Morando é mais preparado, experiente e tem a liderança que a cidade precisa.”, afirmou Orlando Silva." (Portal RD Repórer Diário, 05/10/2016).

Tal anúncio foi feito no Escritório do Deputado Orlando Morando do PSDB, candidato a prefeito de São  Bernardo do Campo, com a presença de Orlando Silva e do presidente do PCdoB da cidade, Jorge Costa Oliveira.

Os camaradas do PCdoB, em São Bernardo do Campo, atribuem os desvios do partido, ao seu presidente Jorge Costa Oliveira. Mas isso é um equívoco, o curso reformista, oportunista e socialdemocrata do PCdoB é fruto de seu programa democratizante e pró-imperialista, tanto que o anúncio do apoio ao PSDB contou com a presença de ex-ministro Orlando Silva, alto dirigente do partido. 

Os companheiros de base do PCdoB, com os quais temos travado lutas em frente única contra o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano, companheiros valorosos, que realmente são comunistas, precisam romper com esse partido que não tem nada de comunista (a não ser o nome), sendo na verdade um partido socialdemocrata, reformista e oportunista. Os camaradas devem fazer um autocrítica profunda, que vá à raiz, com base no materialismo histórico, na dialética, bem como reorientar sua política no sentido da construção de um verdadeiro partido comunista, um partido operário marxista e revolucionário. 

Psol e PCdoB embelezam a democracia burguesa e negam o golpe


Tanto Psol como o PCdoB só exaltam e embelezam a democracia burguesa, que é a ditadura do capital, demonstrando que não entendem que vivemos um golpe, capitulando aos golpistas, traindo a luta da classe operária.

Golpistas promovem eleições municipais antidemocráticas, fraudulentas e sangrentas

Após a eleições municipais foram totalmente antidemocráticas, fraudulentas e sangrentas no Brasil, com 28 assassinatos e 45 atentados, seguem as operações nazi-fascistas e macarthistas da Polícia Federal, impulsionadas pelo Judiciário golpista.

Ainda na terça-feira, dia 4, em Salvador, o Partido dos Trabalhadores (PT) da Bahia, teve a sua sede invadida pela truculenta Polícia Federal, em mais um episódio nazi-fascista e macarthista, sob pretexto de conseguir provas relativamente a financiamento de campanha eleitoral e contratos de licitação contra o governador petista, Rui Costa.

Agora o setor golpista mais reacionário e mais alinhado ao imperialismo norte-americano, liderado pelo PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) e DEM (Democratas), está preparando um golpe dentro do golpe, já iniciado por ações do Ministério Público Federal golpista, visando substituir Temer pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tendo como ministro da Fazenda o brasileiro, naturalizado norte-americano, Armínio Fraga, ligado ao mega-especulador grego, George Soros, o mesmo que impulsionou o golpe nazista na Ucrânia, com o apoio do Enclave sionista e terrorista de Israel.

Esse setor alinhado totalmente ao imperialismo norte-americano deflagrar uma verdadeira guerra civil contra a população trabalhadora, quer suprimir imediatamente os direitos trabalhistas da CLT, acabar com as aposentadorias, acabar com a estabilidade do funcionário público, entregar o Pré-sal, entregar a Petrobrás para a Shell e a Chevron, entregar até a água, privatizar o Banco do  Brasil, a Caixa Econômica Federal, etc., o que significará a escravidão e a recolonização do Brasil, um retrocesso de 300 anos, voltaremos ao Século XVIII. Nesse quadro, o genocídio da população pobre e negra das periferias das cidades deverá aumentar ainda mais.

Além disso, é preciso ter claro que, caso os golpistas se consolidem no poder, daqui para frente a tendência é a supressão total das eleições e das liberdades democráticas, com o regime golpista tornando-se totalmente ditatorial, logicamente dependendo da reação e resistência do movimento operário e popular, da luta de classes. 

Construir o partido operário marxista revolucionário

A vanguarda operária revolucionária precisa reagrupar-se imediatamente, buscando construir um partido operário marxista revolucionário, para organizar o proletariado brasileiro de forma independente.

Construir as milícias operárias e populares a partir dos sindicatos

Assim, é fundamental que o movimento operário e popular construa comitês de autodefesa, as milícias operárias e populares, a partir dos sindicatos, para esmagar aos fascistas, assim como para derrotar o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano, na perspectiva de organizar a greve geral, para a derrubada revolucionária da ditadura Temer e do Judiciário nazi-fascista e macarthista, rumo ao governo operário e camponês e ao Socialismo!

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista e revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário