terça-feira, 13 de setembro de 2016

Câmara golpista faz de conta que cassou Cunha para salvar a ditadura Temer

A Câmara dos Deputados golpista fez de conta que cassou o seu ex-presidente, Eduardo Cunha, por  450 votos contra 10 e nove abstenções, na noite de ontem, dia 12 de setembro, visando salvar à ditadura Temer. 

Optou por entregar o anel para não perder os dedos, tentando aliviar a pressão, em razão da ditadura Temer estar com muita dificuldade de se estabilizar, como um paciente na UTI, que poderá ter uma morte súbita, com as enormes manifestações diárias contra o golpe que estão tomando conta das ruas de todas as cidades do país, gritando o Fora Temer, que deverá desaguar na Greve Geral marcada para o dia 22 de setembro próximo, pela defesa dos direitos trabalhistas e sociais.

Os golpistas perceberam que apenas com repressão pura e simples não está dando para conter o movimento popular nas ruas, que tende a adquirir proporção gigantesca. As provocações preparadas pelo ministro golpista da Justiça, liderando o Exército e a Polícia Militar, como no Estado de São Paulo, onde um agente provocador foi desmascarado por fazer uma armadilha para prender 26 manifestantes, antes mesmo da grande manifestação do domingo dia 4/9, sendo, pois, que provocações não surtiram efeito e o tiro saiu pelo culatra.

Então, em razão de estarem acuados (recentemente mais um ministro caiu, o Advogado Geral da União, atirando para todos os lados, denunciando o golpista Temer e os demais ministros de tentar encobrir a corrupção) os golpistas sentiram a necessidade de “cassar” o líder do golpe, o deputado Eduardo Cunha, para tornar mais palatável o “impeachment”/golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano. A ideia deles é semelhante a dos bandidos que procuram limpar o local do crime, apagar aos vestígios e queimar arquivo.

A operação foi bastante semelhante ao que fez o Supremo Tribunal Federal golpista, às vésperas da votação da admissão do “impeachment”/golpe na Câmara dos Deputados, quando resolveram "afastar" Cunha (na verdade uma licença, logicamente remunerada, dispensando-o apenas de comparecer à Câmara, para que se dedicasse integralmente à condução do golpe).

Agora os golpistas viveram  esse novo dilema bastante semelhante de ter de “cassar” Cunha, dentro do covil de bandidos que é a Câmara dos Deputados, que era controlada pelo próprio deputado execrado pela população do Brasil inteiro, em razão de suas 9 contas, com milhões de dólares na Suiça. Uma verdadeira unanimidade nacional!

Uma parte dos golpistas avaliaram e conseguiram convencer os demais que para seguir com o golpe era necessário “cassar” Eduardo Cunha.  De início contaram novamente com a colaboração ativa do Supremo Tribunal Federal que rejeitou os recursos judiciais interpostos por Cunha (o ministro golpista Gilmar Mendes ficou na dele, fingindo de morto).

Todavia, a votação de cassação de Cunha deve ter sido bilionária, como acontece em toda votação importante na Câmara dos Deputados, no Senado Federal, enfim no Congresso Nacional, isto é, o famoso “toma lá, dá cá”, o “é dando que se recebe”.


Neste caso é difícil, por ora, fazermos uma avaliação das consequências da votação.

Mas algumas coisas podem ser ponderadas.  Cunha é um “arquivo” e ele já ameaçou todos os seus comparsas, referindo-se ao efeito “Orloff”: “vocês serão eu amanhã!”  Ele poderá abrir a boca. Não está descartada a hipótese que  a cassação de Cunha faça o ventilador funcionar a todo vapor: m... para todo lado! Ou também poderá ser uma "cassação" (apenas formal) como condenação de juiz, com uma gorda aposentadoria, no caso de Cunha milionária, com milhões de dólares, pois deve ter sido ameaçado pelos demais golpistas, talvez tenha medo de abrir a boca. Já prometeu um livro. Talvez queira esperar a poeira baixar. Os demais golpistas devem tê-lo ameaçado de se pensar em abrir a boca poderá se tornar um arquivo morto. Em compensação devem ter-lhe prometido a manutenção da prerrogativa de foro, ou seja, para ficar sossegado de que não haverá prisão.

A força de Cunha era a força do imperialismo norte-americano, dos falcões da Casa Branca, de Washington, do Departamento de Estado, da CIA e do FBI. Mas o imperialismo não tá nem aí para os serviços sujos prestados por Cunha. Com certeza analisaram a situação e decretaram a “queima de arquivo” formal, a cassação de Cunha, não estando, como já dissemos, descartada a queima de arquivo real. Cunha poderá aparecer morto.  O imperialismo norte-americano é capaz de qualquer coisa. Só para exemplificar, relembrando, em agosto de 1945 jogaram bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, matando 166 mil pessoas na primeira cidade e 80 mil na segunda. “Sacrificar” Cunha para eles é que nem tirar doce da boca de criança!

Além disso, se revolução é grande devoradora de homens, a contrarrevolução e os golpes também! Isso aconteceu com Carlos Lacerda, com Adhemar de Barros, defensor da moral e dos bons costumes, cujo slogan era “Rouba mas faz” (deixou como herança a Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão para seu neto João Saad), Magalhães Pinto (Banco Nacional, hoje Itaú-Unibanco), etc., os chamados golpistas arrependidos da ditadura militar de 1964, que foram cassados pela mesma.

Assim, o problema dos golpistas era convencer a maioria dos deputados da Câmara dos Deputados, o que, com certeza, deve ter custado bilhões de reais. A reserva brasileira de 370 bilhões de reais poderá desaparecer completamente, juntamente com o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço dos trabalhadores) e os recursos da Previdência Social!!! Sem falar nos 144 bilhões do “déficit público”, que já deve ter sumido, uma parte foi para o judiciário: 58 bilhões de reais!!! A “entrada” ou “sinal” do golpe! Agora o Poder Judiciário pressiona pelo aumento dos subsídios (salários) dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que produzirá um efeito cascata na União e nos Estados da Federação. Mas comércio é comércio, não é não? A fatura deve ser paga!

Portanto, é importante não se deixar impressionar por essa manobra parlamentar de “cassação” de Eduardo Cunha, que na verdade é uma cortina de fumaça, é uma tentativa de jogar areia nos olhos da população, porque o golpe segue em marcha e precisa ser derrotado. Não devemos ter ilusões legalistas, constitucionais, eleitoreiras ou parlamentar. Devemos analisar concretamente a realidade.

Então, essa manobra golpista poderá, ao invés de aliviar a pressão e conter o movimento popular, aumentar ainda mais a enorme reação popular que estamos vivendo, com o povo tomando as ruas de todas as cidades do Brasil diariamente, fazendo com que haja a erupção de um gigantesco movimento de massas! 

Mas uma coisa é certa, Cunha apenas cairá se o golpe for derrotado, com o povo colocando as mãos nele para ser julgado por um Tribunal Popular, em Praça Pública, à la Saint-Just!

Assim, é fundamental a unificação das lutas, como a dos jornalistas e radialistas da TV Cultura, que estão em greve desde o dia 8/9, assim como a greve nacional dos bancários iniciada desde o dia 6/9, e das manifestações que estão crescendo pelo País, com a classe operária e o conjunto de trabalhadores das cidades e os camponeses pobres e operários agrícolas, sob a bandeira Fora Temer, visando organizar os comitês de autodefesa, as milícias operárias e populares, a partir dos sindicatos, bem como preparar e deflagrar a Greve Geral, por meio da eleição de comandos de greve, contra o golpe da burguesia e do imperialismo norte-americano, pela derrubada revolucionária da ditadura Temer/Cunha, no sentido do cumprimento das tarefas democráticas de expulsão do imperialismo e da revolução e reforma agrária, com a expropriação das empresas, das fábricas, bancos, universidades, escolas, expropriação do campo, dos latifúndios, das empresas agrícolas, estabelecendo o monopólio do comércio exterior e a economia planificada, na perspectiva de construção de uma Internacional Operária e Revolucionária, rumo à revolução proletária internacional e ao Socialismo.

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário