terça-feira, 18 de agosto de 2015

Agenda Renan Calheiros é o maior ataque à classe trabalhadora

A semana passada o Senador Renan Calheiros apresentou à presidenta Dilma a chamada Agenda Brasil, a qual é um verdadeiro presente de grego para a classe operária porque ataca as conquistas sociais, corta a aposentadoria, acaba com o uso obrigatório de verbas na Saúde e na Educação, implementa a terceirização (precarização/escravidão da classe trabalhadora em geral), ataca os vencimentos dos funcionários públicos, favorece o setor ruralista e os planos de saúde privados e visa privatizar o Sistema Único de Saúde , o SUS.

Conforme Ricardo Melo, na Folha de São Paulo de ontem, dia 17/8:

“Dilma obteve algum fôlego do ponto de vista da maldita governabilidade, com o adiamento de decisões dos tribunais que fazem cerco ao Planalto. O fantasma do golpismo paraguaio recolheu-se momentaneamente. Mas a que custo?

Pedra filosofal em cartaz, a Agenda Brasil é um programa de destruição de conquistas sociais de causar inveja à antiga UDN. Exemplos: mexe na aposentadoria, libera o uso obrigatório de verbas na Saúde e Educação, promete sacramentar a terceirização selvagem, favorece o setor ruralista, ameaça rendimentos do funcionalismo. Também afaga os planos de saúde com mais benesses. Pensou-se até em começar a privatização do SUS. Um desastre social.

Publicamente, o padrinho do monstrengo reacionário é o presidente do Senado, Renan Calheiros. Seu currículo político dispensa maiores comentários. Mais importante são os bastidores. A Agenda Brasil surge simultaneamente à movimentação do Planalto em direção ao grande capital.

Ao que já se sabe, e pelo que talvez nunca venha a público, no mesmo período multiplicam-se reuniões de emissários do governo com presidentes de grandes bancos, empresários graúdos e magnatas das telecomunicações. A governabilidade passou a ser defendida pelo presidente do Bradesco, o vice-presidente do Grupo Globo, mandatários da Fiesp e da Firjan e outros tantos plutocratas. (...).

Muita água vai correr por baixo desta ponte (para desespero de Geraldo Alckmin, exceto na Cantareira e adjacências). Mas a saída à direita decididamente enfraquece o governo. Ninguém tem dúvida: Dilma, Lula e o PT prosseguem na linha de tiro, ainda que somente para imobilizá-los.”

Assim, o movimento pró-formação de uma tendência socialista operária revolucionária (TSO) do Partido dos Trabalhadores chama o conjunto dos companheiros a travarem uma luta feroz contra a chamada Agenda Brasil de Renan Calheiros, inclusive aproveitando o Ato do dia 20 de agosto, na quinta-feira, na Avenida Paulista, para lutar contra o golpismo da direita e do imperialismo norte-americano, para defender a eleição de comandos de greve nas fábricas, nas empresas agrícolas, nos bancos e nos demais locais de trabalho, nas escolas e nas universidades,  para a organização da greve geral contra a Agenda Renan Calheiros.

- Todos na Avenida Paulista, dia 20 de agosto, contra o golpe da direita!
- Abaixo o golpe da direita e do imperialismo norte-americano, da CIA e do FBI!
- Abaixo a Agenda Renan Calheiros!
- Pela defesa das conquistas sociais!
- Contra os cortes na aposentadoria!
- Verbas para a Saúde e a Educação!
- Abaixo a terceirização, precarização e escravidão da classe trabalhadora!
- Pela defesa dos vencimentos dos funcionários públicos!
- Pela Saúde Pública e gratuita! Pela defesa do SUS!
- Reforma e Revolução agrária! Expropriação das empresas agrícolas, sob controle dos trabalhadores do campo, e dos latifúndios. Terra para quem nela trabalha!

Ignácio Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário