quarta-feira, 6 de julho de 2016

Apenas a greve geral e o povo nas ruas poderão derrotar o golpe

Os golpistas estão segurando o ataque brutal aos trabalhadores e ao conjunto da nação oprimida para desferi-lo com toda a intensidade após a votação do “impeachment”/golpe no Senado Federal.

Inclusive, o golpista Temer já afirmou isso aos banqueiros e empresários, dizendo que em algum momento adotará “medidas impopulares”.

Enquanto isso, as “instituições” golpistas trabalham a todo vapor. A Justiça fascista utiliza-se da Polícia Federal, a polícia política do golpe, para empreender uma verdadeira caçada ditatorial, fascista e macarthista ao Partido dos Trabalhadores (PT), prendendo seus dirigentes e militantes, invadindo a sede nacional do partido, para logo em seguida “coincidentemente” enviar vândalos para depredá-la, ou seja, elementos para-militares, com certeza, além multar e saquear as contas bancárias do partido. 

A farsa da “Operação Lava-Jato” segue perseguindo o PT e os empresários que apoiaram aos governos Lula e Dilma, sem observância do devido processo legal, com “delações premiadas” e “confissões” obtidas claramente sob tortura a pretexto de “prisão temporária” e “prisão preventiva”, que transformaram Curitiba, na Nova Guantánamo. Além disso, segue perseguindo setores nacionalistas, inclusive das próprias Forças Armadas, como o Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, engenheiro naval, mecânico e nuclear, ex-presidente da Eletronuclear, que estava em prisão domiciliar, e agora voltou a ser preso, em razão deste senhor liderar o programa nuclear brasileiro. Tudo isso sob desculpa de corrupção, que historicamente vem desde a corrupta União Democrática Nacional (UDN), de Carlos Lacerda, passando agora pelo não menos corrupto Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), sob influência do imperialismo norte-americano, do Departamento de Estado e da CIA. Como se a corrupção não fosse inerente ao capitalismo, o regime de exploração do homem pelo homem.

A lição que devemos aprender, com a votação da admissibilidade do pedido do “impeachment” da presidenta Dilma, é que não podemos ter ilusões legalistas, constitucionalistas e parlamentaristas, porque esse é um terreno controlado pela burguesia e pelo imperialismo, por meio do estado burguês. Se o movimento de massas não esmagar o golpe, a votação que ocorreu na Câmara dos Deputados irá se repetir no Senado Federal.

Assim, cumpre à Frente Brasil Popular e à Frente Povo Sem Medo, as quais congregam a quase totalidade das organizações operárias e populares do Brasil, como o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras Brasileiras (CTB), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a União Nacional dos Estudantes (UNE), tendo em vista essa ameaça de guerra civil por parte dos golpistas, contra-atacarem, promovendo a ação direta das massas para derrotar e esmagar o golpe.   

Para tanto, a Tendência Marxista-Leninista defende a multiplicação dos comitês de autodefesa, as milícias operárias e populares, bem como a eleição de comandos de greve, nas fábricas, nas empresas, nos bancos, nas repartições públicas, no campo,  nos latifúndios, nas empresas agrícolas, nas escolas e  buscando preparar e organizar uma poderosa greve geral para derrotar e esmagar o golpe da burguesia nacional e do imperialismo norte-americano.

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário