terça-feira, 12 de julho de 2016

Golpistas massacram povo indígena no Mato Grosso do Sul

Fazendeiros atacaram 3 indígenas que ficaram feridos, na região deTekoha Guapoy, Amambaipeguá, Caarapó, Terra Indígena de Dourados, na quinta-feira, dia 11 de julho.

Os jagunços, em 4 caminhonetes e um trator, atacaram os indígenas.

A região está sendo atacada desde 14 de junho, quando o agente de saúde, Clodiode Aquileu Rodrigues de Souza, de 26 anos, foi assassinado e seis indígenas ficaram feridos na ocasião. 

Em razão desse acontecimento de 14 de junho, o ministro da justiça golpista, supostamente para defender os índios, enviou a Força Nacional para a região.

Todavia, isso não passou de um pretexto, de uma desculpa esfarrapada para darem cobertura aos fazendeiros e seus jagunços, para aprofundarem os ataques aos índios.

Os fazendeiros são liderados pelo Senador golpista Ronaldo Caiado, da União Democrática Ruralista, a UDR.   

Estima-se que, quando o Brasil foi descoberto, no ano de 1500, havia de 4 a 5 milhões de índios. Hoje, não passam de 460 mil, em 656 áreas, a maioria ticuna e guarani, 180 línguas, a maioria no Estado do Amazonas (17%). Os índios são 0,25% da população brasileira e ocupam 107 milhões de hectares, 12% do território nacional.

Constata-se, pois, que os índios praticamente foram dizimados.

A Tendência Marxista-Leninista denuncia esse prosseguimento do extermínio dos povos indígenas e defende o direito à autodeterminação dos povos indígenas no Brasil, para que estes, tendo em vista a opressão do Estado brasileiro, possam optar pela separação da federação.

- Abaixo a repressão aos povos indígenas no Brasil!

- Fim do extermínio de índios!

- Pela autodeterminação dos povos indígenas no Brasil!

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário