quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A questão do partido (VII): a democracia interna e a Oposição Conjunta do Partido Comunista da União Soviética

Prosseguindo o estudo da questão do partido, hoje publicamos um discurso sobre a questão da democracia interna e do centralismo democrático de Lev Kamenev, que dirigiu a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, após a morte de Lênin. Kamenev fez parte da chamada troika, juntamente com Joseph Stalin e Georg Zinoviev. Kamenev foi vítima dos chamados “Processos de Moscou”, sendo executado, em 1936, no primeiro processo, juntamente com outros dezesseis, entre eles Zinoviev. Kamenev era cunhado de Trotsky, pois era casado com Olga, irmã do organizador do Exército Vermelho.

O referido discurso consta do Prólogo da Versão Castelhana, escrito por JESÚS PABÓN, da Real Academia da História da Espanha, do livro de Trotsky sobre Lênin, pág.  64, Ediciones Ariel, Barcelona, 1972, com nossa tradução livre para o português:

No exílio, no último ano de sua vida e enfrentando ao passado, Trotsky considerava como a mais clara exposição do problema a feita por Kamenev, enfrentando já a Stalin, e falando em nome da Oposição (Oposição Conjunta, resultado da união da Oposição de Esquerda de Trotsky e Preobrajenski com Kamenev e Zinoviev – Nota E. W.) no XV Congresso do Partido (1927): “Nós temos de eleger entre dois caminhos.  Um deles é o de um segundo partido. Esse caminho, sob a ditadura do proletariado, é fatal para a revolução... Esse caminho está fechado para nós, proibido pelo sistema completo de nossas ideias, por todos os ensinamentos de Lênin sobre a ditadura do proletariado...Sobra, pois, o segundo caminho. Esse caminho quer dizer que nós nos submetemos ao Partido. Escolhemos esse caminho, porque estamos profundamente convencidos de que uma correta política leninista só pode ser realizada dentro de nosso Partido, não fora do Partido e contra ele...Porém sim, por adição, temos que renunciar a nosso próprio ponto de vista (que é o que este Congresso exige), isso não seria bolchevique.  Esta exigência da renúncia das próprias opiniões nunca foi colocada anteriormente no nosso partido.”
“É Trotsky quem sublinha. Porque entende que nas palavras sublinhadas está a chave da diferença entre a disciplina do Partido entendida por Lênin e a exigida por Stalin.(...).”

Erwin Wolf

Nenhum comentário:

Postar um comentário