sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Ataques do imperialismo contra o Irã e a Coreia do Norte

A Arábia Saudita Saudita, por meio de sua monarquia reacionária e traidora do povo árabe, aliada dos Estados Unidos, da União Europeia, de Israel e das forças da OTAN, executou o clérigo xiita Nimr al-Nimr no último sábado, 2 janeiro.

Conforme o Blog coirmão, Espaço Marxista:

“Mesmo a ONU -sucedânea da Liga das Nações, bem caracterizada por Lênin como um "antro de ladrões"- admite a flagrante violação dos princípios jurídicos mais comezinhos do mundo dito civilizado, por parte da reacionária monarquia absolutista da Arábia Saudita, na execução do clérigo xiita Nimr al-Nimr no último sábado. Tratou-se de uma condenação política, haja vista o papel do sheikh na oposição ao regime, na luta em defesa da minoria xiita e por eleições livres no país.

Oportuno denunciar o papel hipócrita das potências ocidentais. Apesar de demonstrarem "consternação" com o episódio -que trouxe consequências como o rompimento de relações diplomáticas entre os sauditas e aliados e o xiita Irã (aqui)-, na verdade continuam tendo na monarquia saudita um fiel aliado e parceiro (em termos de "petrodólares" inclusive). Ao mesmo tempo, bradam "indignados" quando países do campo progressista e de esquerda perseguem judicialmente os autênticos criminosos travestidos de "opositores", como o golpista Leopoldo López na Venezuela.”

Esse ataque visa também o Irã, que é governado pelos xiitas.

Por outro lado, a Coreia do Norte informou, na quarta-feira, dia 6 de janeiro, que fez um teste bem-sucedido com uma miniatura de bomba de hidrogênio, bomba H, sendo que o imperialismo imediatamente convocou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU.

O Movimento pró-formação de uma Tendência Marxista-Leninista do PT coloca-se em defesa do Estado Operário da Coreia do Norte e em defesa do Irã contra esses ataques do imperialismo norte-americano, europeu e da OTAN.

O Estado Operário da Coreia do Norte,  necessita de uma revolução política, em razão de sua direção stalinista, mas frente ao ataque do império fazemos frente única com os stalinistas contra o imperialismo, tendo em vista o cerco imperialista do Japão e da Coreia do Sul, motivo pelo qual o proletariado norte-coreano tem de estar preparado para se defender. Com relação à Coreia do Sul, conclamamos a sua classe operária a se solidarizar com o proletariado norte-coreano, visando a unificação socialista da Coreia. Da mesma forma, o Irã é um país capitalista atrasado, um semi-colônia, tem um direção conservadora, mas mesmo assim fazemos frente única com a mesma contra o imperialismo, que sustenta Israel, na Palestina ocupada. Defendemos a destruição do Estado sionista e terrorista de Israel, para a libertação da Palestina, instaurando-se um estado socialista, com os povos árabes, judeus e cristãos.

Recentemente Dilma Rousseff recusou o embaixador indicado por Israel ao Brasil, Dany Dayan, um terrorista. Mas isso é muito pouco, o certo é romper relações diplomáticas com o Estado terrorista e sionista. 

Erwin Wolf  

Nenhum comentário:

Postar um comentário