sábado, 9 de janeiro de 2016

Em primeiro protesto contra reajuste das passagens no ABC, Mauá registra truculência policial

Ato começou de maneira pacífica, mas terminou em confusão na entrada do terminal de ônibus

Um dia após a primeira manifestação contra o aumento das tarifas do transporte público em 2016, que reuniu cerca de 7 mil pessoas na capital paulista na tarde desta sexta-feira (8), Mauá foi cenário do primeiro protesto na região do ABC. Convocado pelo ‘Comitê Regional Unificado contra o aumento das tarifas no ABC’, o ato reuniu cerca de 100 pessoas.

No início da tarde deste sábado (9), os manifestantes fizeram um ato que percorreu o calçadão e algumas ruas no centro da cidade gritando palavras de ordem e distribuindo materiais contra o reajuste do preço das passagens do ônibus, trem e metrô – que passaram de R$ 3,50 para R$ 3,80.

Após a passeata, decidiram seguir até o terminal da cidade. O objetivo era entrar no terminal para explicar os motivos da manifestação e conscientizar os usuários do transporte público.

Os seguranças do terminal logo avisaram os Policiais Militares e os Guardas-Civis Municipais de que isso não seria possível e um princípio de tumulto entre PM’s, GCM’s, seguranças do terminal e manifestantes teve início quando o grupo invadiu as pistas da avenida Gov. Mário Covas Júnior, impedindo a passagem de veículos.

Neste momento, alguns manifestantes foram agredidos com cassetetes e gás de pimenta, e o jovem Anderson Frederico, morador da cidade de Mauá, foi detido sob acusação de depredação. Porém, cerca de uma hora depois, Frederico foi liberado porque, segundo a PM, não houve nenhum vandalismo. O grupo que protestava comemorou sua liberdade.

Atos continuam no ABC
Nesta segunda-feira, dia 11, o Comitê contra o aumento da Tarifa no ABC organiza outra manifestação. O grupo pretende se encontrar na estação de trem de Santo André, às 7h30, e seguir em marcha até o Consórcio Intermunicipal, onde os sete prefeitos da região deverão se reunir. A manifestação esta prevista para acontecer às 10h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário