segunda-feira, 9 de maio de 2016

Greve Geral 10/5 contra o golpe e a ditadura Temer

O novo presidente da Câmara Federal, Waldir Maranhão (que assumiu devido ao afastamento do deputado Eduardo Cunha, acusado de desviar milhões de dólares da Petrobrás) deferiu e atendeu ao recurso da Advocacia-Geral da União, anulando a farsa do processo de “impeachment” contra a Presidente Dilma Rousseff, em razão das inúmeras irregularidades, julgando-o procedente.

O presidente Waldir Maranhão determinou ainda que o processo que se encontra no Senado Federal retorne à Câmara dos Deputados.

Todavia, o presidente do Senado, Renan Calheiros, passou por cima da decisão do presidente da Câmara dos Deputados e deu seguimento ao golpe no Senado Federal, alegando que a decisão do presidente da Câmara foi intempestiva, ou seja, fora do prazo, estando preclusa (caduca no popular), o que não é verdade, porque a Advocacia-Geral da União interpôs (entrou) com o recurso dentro do prazo regulamentar, sendo que o problema foi o que o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, não apreciou, não julgou o recurso.

É importante assinalar que os deputados e senadores golpistas estão ameaçando cassar o mandato do presidente da Câmara, Waldir Maranhão, e prendê-lo. A imprensa golpista está fazendo o mesmo, como, por exemplo, o jornalista Cláudio Humberto, na tarde de hoje, na Rádio Bandeirantes. 

Os trabalhadores não devem ter ilusão nas “instituições” golpistas, como a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, compostas na sua maioria por membros que foram eleitos com dinheiro dos banqueiros, dos grandes empresários e dos grandes empreiteiros, em eleições antidemocráticas e controladas, onde os candidatos dos partidos operários e populares não dispõem de um tempo mínimo razoável para defenderem seus programas e suas plataformas, assim como o Poder Judiciário, Ministério Público Federal, Polícia Federal, que servem de forma permanente a burguesia pró-imperialista, por meio de usurpadores que não são eleitos, não são submetidos ao sufrágio universal, ao voto, isto é, não são controlados pelo povo.

As mobilizações têm de dar um salto de qualidade, sempre utilizando os métodos de luta de ação direta das massas, motivo pelo devemos deflagrar a Greve Geral, amanhã dia 10/5, elegendo comandos de greve, nas fábricas, nas empresas, nos bancos, nas repartições públicas, nos campos, nas empresas rurais, nas escolas e nas universidades, com o objetivo de paralisar os transportes públicos (ônibus, trens e metrô), fechando as estradas, as rodovias, os portos e aeroportos, impedindo, assim, a votação no Senado e eventual posse de Temer, que, com certeza, poderá atacar e retirar os direitos trabalhistas da população.

Assim, objetivo da Greve Geral de amanhã, dia 10/5, é paralisar totalmente o País, exatamente no dia antecederá à votação do golpe no Senado Federal, dando um importante passo, rumo à greve geral por tempo indeterminado para derrotar o golpe de Temer.

- Não ao golpe!

- Fascistas não passarão!

- Greve geral!

- Fora Temer! 

Tendência Marxista-Leninista

Nenhum comentário:

Postar um comentário