quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Convite: 3º Congresso da Juventude do PT

Etapa Municipal de São Bernardo do Campo

A Juventude do PT de São Bernardo do Campo realizará a  Etapa Municipal do 3º Congresso da Juventude do PT, no Diretório Municipal, na Rua Tapajós, 3, Centro, no sábado, 26 de setembro, às 14 horas.

Destacamos o seguinte trecho da convocatória do Congresso:

"O Congresso é principal momento de elaboração política dos diversos setores da juventude do PT e será espaço para formulação e debates sobre os temas que envolvem a juventude brasileira como um todo, e a juventude petista em particular.

Durante o 3º ConJPT, serão definidas e eleitas as direções da juventude do PT nos municípios, nos estados e em âmbito nacional. As etapas municipais elegem os delegados para o congresso estadual, bem como as direções da JPT nos municípios. Nos congressos estaduais, serão eleitos os delegados para a etapa nacional e também as direções estaduais. Já no congresso nacional, será eleita a nova direção nacional da JPT.

O objetivo é atualizar as agendas do PT relacionadas aos jovens e aproximar nosso partido da juventude."

O movimento pela formação de uma Tendência Marxista-Leninista do PT (antiga Tendência Socialista Operária) soma-se à convocação da Juventude do PT de São Bernardo do Campo para participar do 3º Congresso, Etapa Municipal, bem como a saúda transcrevendo o trecho abaixo, do Programa de Transição da IV Internacional, elaborado por Leon Trotsky, sobre a juventude:

“A renovação do movimento faz-se pela juventude, livre de toda responsabilidade pelo passado. A Quarta Internacional dá uma excepcional atenção à jovem geração do proletariado. Toda sua política se esforça em inspirar à juventude para que confie em suas próprias forças e em seu futuro. Apenas o revigorante entusiasmo e o espírito ofensivo da juventude podem assegurar os primeiros sucessos na luta; apenas esses sucessos podem fazer voltar ao caminho da revolução os melhores elementos da velha geração. Sempre foi assim. Continuará sendo assim.
As organizações oportunistas, por sua própria natureza, concentram sua atenção principalmente nas camadas superiores da classe operária e, consequentemente, ignoram igualmente a juventude e as mulheres trabalhadoras. Entretanto, a época de declínio capitalista atinge cada vez mais duramente a mulher, tanto a assalariada quanto a dona- de-casa. As secções da Quarta Internacional devem procurar apoio nas camadas mais exploradas da classe operária e, consequentemente, entre as mulheres trabalhadoras. Encontrarão aí inesgotáveis fontes de devotamento, abnegação e espírito de sacrifício.
Abaixo a burocracia e o carreirismo!
UM LUGAR À JUVENTUDE E ÀS MULHERES TRABALHADORAS!
Estas são palavras de ordem inscritas com destaque na bandeira da Quarta Internacional.”

As “instituições” golpistas, Ministério Público Federal, o Poder Judiciário, por meio do Supremo Tribunal Federal, e a Polícia Federal,  como também o Tribunal de Contas da União, que são demais conservadores, reacionários, porque seus membros não são eleitos, não se submetem ao sufrágio universal, isto é, ao voto, não são controlados pelo povo, estando sempre dominados pela burguesia e o imperialismo (CIA, FBI, embaixada, consulados), como “instituições” permanentes, agora estão engajados no processo golpista em marcha contra a presidente Dilma, via “impeachment” ou golpe militar. Pela importância desses órgãos, os seus membros deveriam ser submetidos ao sufrágio universal, devem ser eleitos, como deve ser numa verdadeira democracia, como concebida pelos filósofos revolucionários, como Jean-Jacques Rousseau, e desenvolvida em o “Estado e a Revolução” e colocada em prática por Vladimir Lênin, ou seja, como adotada nas democracias soviéticas, dos conselhos (ou assembleias populares, como na Bolívia, em 1971, aqui na América do Sul) de operários e camponeses, como na Revolução Russa de 1917, Húngara de 1919, Cubana, 1959, etc.

O STF é o mesmo que entregou Olga Benário aos nazistas e que recentemente condenou nossos companheiros do PT sem provas, com base na nazi-fascista “Teoria” do Domínio do Fato. Essas “instituições” agem politicamente, utilizando-se de  ações midiáticas, em total desrespeito aos mínimos direitos civis e democráticos, à presunção de inocência, desrespeitando as liberdades democráticas (ou como gostam os juristas burgueses, as “liberdades públicas”),  criminalizando os movimentos sociais, prendendo os lutadores dos movimentos sociais, com a aplicação da Lei de Segurança Nacional da época da ditadura militar, que permite até a pena de morte, em conluio com governos de traços nazi-fascistas nos estados, agora agravada com a Lei Antiterrorismo.

Os operários e camponeses brasileiros precisam, nesta conjuntura, com os ataques nazi-fascistas, organizar os comitês de autodefesa. O Socialist Workers Party (Partido Socialista dos Trabalhadores) dos Estados Unidos, no final dos anos 1930, numa conjuntura semelhante a que vivemos hoje, discutiu com Trotsky a formação de grupos de autodefesa. Trotsky ensinou que:

“As palavras de ordem do Partido devem ser lançadas lá onde possuímos simpatizantes e operários que nos defenderão. Mas um partido não pode criar uma organização de defesa independente. A tarefa consiste em criar esses organismos nos sindicatos. Devemos possuir grupos de camaradas bem disciplinados, com dirigentes prudentes...”

O movimento pró-formação de uma Tendência Marxista-Leninista no PT (antiga Tendência Socialista Operária), por meio de sua juventude, propõe que a Etapa Municipal de São Bernardo Campo aprove como eixo de suas lutas o combate ao golpe da burguesia nacional e do imperialismo e a luta contra os ataques aos direitos da classe trabalhadora, para barrar a terceirização – PEC 4330, as MPs 664 e 665 (redução de pensões, redução da aposentadoria, etc.), impedir o corte de 4 bilhões de reais da Saúde Pública e os cortes dos programas sociais, como o FIES, PROUNI, PRONATEC, Minha Casa Minha Vida, e derrotar o congelamento dos vencimentos dos funcionários públicos.

Ignácio Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário