domingo, 8 de novembro de 2015

Nota de apoio ao MLB e à ocupação Eliana Silva II, e repúdio contra a GCM do Marinho

São Bernardo do Campo foi palco de mais uma barbárie promovida pela GCM

*com informações da jornalista Karen Marchetti, do jornal ABCD Maior

© foto: Manoel Domingos

Precisamos denunciar a truculência da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Bernardo do Campo que, sob comando do secretário de Segurança Urbana, Cicero Ribeiro Silva, agiu de forma desproporcional durante desocupação de um terreno invadido pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) no bairro Demarchi, na tarde deste domingo (8).

O ocorrido lembra outra ação violenta da GCM em dezembro último, quando o mesmo MLB invadiu um terreno no bairro Cooperativa. Naquela oportunidade, a administração do prefeito Luiz Marinho (PT), também usou da força excessiva para acabar com a ocupação.

Durante esta madrugada, de acordo com informações divulgadas pelo jornal ABCD Maior, cerca de 150 famílias ocuparam um terreno abandonado há mais de 30 anos na rua Gregória de Fregel. Com isso, o MLB tinha como objetivo pressionar a administração municipal para incluir a área no programa habitacional ‘Minha Casa, Minha Vida’, do governo Federal.

Ainda de acordo com informações do ABCD Maior, à tarde o secretário Cicero esteve no local. Em nome do prefeito, propôs uma reunião na segunda-feira com representantes da Secretaria de Habitação do município para discutir uma solução para as famílias, mas com a condição de que desocupassem a área imediatamente. O MLB não aceitou esta imposição e decidiu continuar no local.

Em seguida, sob a alegação de que “a cidade tem política habitacional e que nenhuma nova ocupação será admitida”, a GCM invadiu o terreno pelos fundos e começou a atirar bombas de efeito moral e balas de borracha. Assustados, os manifestantes correram da confusão e abandonaram a ocupação, que havia recebido o nome de ‘Eliana Silva II’. 

Transtornados com a violência, o grupo de moradores sem-teto caminhou até a praça Brasil, no centro, onde realizarou uma assembleia. Eles decidiram que farão atos durante esta semana, mantendo assim a mobilização das famílias.

Todo trabalho que o Marinho tem realizado na área da Habitação não pode servir de justificativa para agir com violência. Ainda mais se tratando de pessoas humildes, trabalhadoras e socialmente vulneráveis. Por mais que reconheçamos os números do prefeito na área habitacional nos últimos sete anos, aceitar este tipo de situação é inadmissível.

Muito me entristece ver uma administração petista agindo de forma truculenta. Isso porque a intolerância representada pela falta de diálogo e a violência utilizada não pode ser classificada de outra forma.

Lamentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário