quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Petroleiros em greve

Os petroleiros entraram em greve na Bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro, no domingo, dia 1º de novembro, liderados pela Federação Nacional dos Petroleiros (FUP) contra a política de privatização da empresa, a principal estatal brasileira.

Os petroleiros estão lutando contra a venda de ativos da Petrobrás, a manutenção da política de desenvolvimento nacional sob a base da Petrobrás, monopólio de exploração dos recursos naturais da camada Pré-sal pela própria, fim da política de privatização.

Essa luta dos petroleiros faz parte luta da classe operária brasileira contra o golpe burguesia nacional entreguista e o imperialismo americano, que pretendem a privatização da estatal, como fizeram com a Vale, apropriando-se dessa imensa riqueza nacional, usando o pretexto de um suposto combate à corrupção, quando na verdade eles é que são os corruptos e corruptores,  com o objetivo de desvalorizar a Petrobrás.

A privatização da Petrobrás faz parte do plano da burguesia e do imperialismo americano, que busca impor a terceirização (precarização/escravidão dos trabalhadores), cortes das aposentadorias e pensões, cortes do seguro-desemprego, fim dos programas sociais, como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Fies, Pronatec, etc.

A greve precisa ser ampliada para todas as unidades. Há necessidade também de que a classe operária brasileira saía em solidariedade à greve dos petroleiros.

A direção da empresa está pressionando os trabalhadores nas unidades em greve, utilizando equipes de contingência sem o menor preparo para a manutenção dos serviços.

A vitória da greve dos petroleiros, com a solidariedade do conjunto da classe operária brasileira, significará uma grande vitória contra a burguesia nacional entreguista e o imperialismo americano, no sentido do controle operário da estatal.

- Todo apoio à greve dos Petroleiros!
- Não à privatização da Petrobrás!
- Controle operário da estatal!

Erwin Wolf
Ignácio Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário