sexta-feira, 15 de abril de 2016

Abaixo o muro de Rollemberg, em Brasília!

A Tendência Marxista-Leninista, sempre com o objetivo de informar e elevar o nível de conscientização de seus militantes e simpatizantes, publica abaixo o artigo do Diário Causa Operária a respeito do muro erguido pelo Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB).


“14 DE ABRIL DE 2016

Abaixo o muro de Rollemberg e Cunha, fora a direita e a farsa global, ocupar Brasília contra o golpe.

O presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), se reuniram para discutir um esquema de “segurança” para os dias de manifestação, principalmente para o dia da votação do impeachment de Dilma pela Câmara dos Deputados.

O esquema começou a ser colocado em prática com a instalação na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, de um muro. Cada grupo ficaria de um lado. No meio, no gramado a polícia.

A direita assim como reivindicou para si a Avenida Paulista, acha que se tornou dona da Esplanada. A ideia do governo é organizar a repressão. É evidente que se for mantido o esquema os manifestantes da esquerda estarão submetidos a uma repressão intensa, enquanto os defensores do golpe, que tiram fotos com a polícia, serão tratados de maneira totalmente diferente.

Aliado ao esquema repressor está a imprensa capitalista que por seu lado procura apresentar que tudo estaria perdido. O impeachment estaria garantido. É a tentativa de fazer os trabalhadores acreditarem que não adianta mais a luta, não adianta a mobilização. Mais uma mentira. Fazem isso justamente porque a luta é a única maneira de derrotar o golpe.

Para derrotar a direita, será necessário ocupar Brasília, reforçar os atos nas capitais em todo o país e mostrar aos parlamentares, à direita, à imprensa que estaremos nas ruas e só sairemos quando o golpe estiver derrotado.

Isso não se dará apenas com a derrota do impeachment. Aprovado ou não o impeachment de Dilma na Câmara dos Deputados a luta deve continuar. A direita não vai recuar. Ainda há o processo no Tribunal Superior Eleitoral e, como disse o próprio Eduardo Cunha, outros nove pedidos de impeachment aguardam análise.

Vamos ocupar a Esplanada dos Ministérios em Brasília, lotar os atos e realizar ações de todos os tipos para levar adiante essa luta. É preciso mostrar para a população que ainda esteja em dúvida quanto ao impeachment que o objetivo do vice-presidente Michel Temer, de Eduardo Cunha, da direita é realizar um ataque profundo aos direitos dos trabalhadores, entregar as riquezas nacionais e submeter o país ainda mais ao imperialismo.

A mobilização da população é a única arma do povo.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário