segunda-feira, 18 de abril de 2016

Acreditar na ação direta das massas e abandonar as ilusões nas instituições golpistas

Sempre nos vem à memória, na atual conjuntura, o ensinamento do filósofo holandês, Baruch Spinoza, que disse: nem rir, nem chorar, mas compreender. 

A lição que devemos aprender, com a votação da admissibilidade do pedido do “impeachment” da presidenta Dilma, é que não podemos ter ilusões legalistas, constitucionalistas e parlamentaristas, porque esse é um terreno controlado pela burguesia e pelo imperialismo, por meio do estado burguês. Mais uma vez fica claro, a inviabilidade da democracia burguesa, baseada em rios de dinheiro de banqueiros, empreiteiros e empresários. 

Em nenhum momento poderemos concordar com o golpe, sendo que, num eventual governo Temer/Cunha, que será uma ditadura, nos colocaremos pela derrubada revolucionária do mesmo.

Mas o fundamental é a direção do PT e o governo Dilma não semearem ilusões nas massas, jogando areia nos olhos dos trabalhadores, com ilusões e esperanças nas instituições golpistas, como  Senado Nacional, Poder Judiciário, Ministério Público, Polícia Federal. 

Isso ficou claramente comprovado com a votação no Congresso Nacional, como ensinou Lênin não devemos ter ilusões nas instituições do Estado burguês, porque são organismos dominados pela burguesia e pelo imperialismo. Não podemos ter ilusões em picaretas como Renan Calheiros, Romero Jucá e etc. Como na Câmara, será um jogo de cartas marcadas.

Não somos contra que o PT e Dilma lutem em todos os terrenos contra o golpe em marcha, inclusive fazendo sua defesa jurídica e política no Senado, usando essa tribuna para denunciar o golpe, mas essa luta deve estar subordinada à mobilização e à ação direta das massas rumo à greve geral para derrotar os golpistas nas ruas, único terreno onde poderemos obter a vitória.

Tendência Marxista-Leninista

Nenhum comentário:

Postar um comentário